Ariquemes (RO), 24 de agosto de 2019

Educação

RO 29/04/2019 09:51 G1 | Postado por Izabella Coelho - DRT 1587/RO

Alunos de Porto Velho participam da 13ª Mostra Brasileira de Foguetes

Lançamento dos protótipos aconteceu no estádio de futebol Aluízio Ferreira. Foguetes foram construídos inteiramente pelos estudantes dos 1º e 2º anos do ensino médio.

Dezenas de alunos de Porto Velho participaram da fase estadual da 13ª Mostra Brasileira de Foguetes (Mobfog) que aconteceu na manhã deste domingo (28).

Os alunos da Escola Estadual de Ensino Médio Major Guapindaia se preparam para o evento desde o início do ano. O longo processo de estudo e elaboração do projeto teve fim no lançamento dos protótipos que aconteceu no estádio de futebol Aluízio Ferreira, na capital. A mostra, segundo os organizadores, é inteiramente experimental.

Chegar o mais longe possível da base de lançamento era o objetivo dos grupos. Todos os protótipos foram construídos pelos estudantes, desde a base de sustentação até o próprio foguete, feito de garrafa pet.

Instrutor precisa intervir no lançamento de foguete de estudante de Porto Velho na fase estadual da 13ª Mobfog.  — Foto: Pedro Bentes/G1

No interior dele, os alunos tiveram que demonstrar precisão para compor um mistura química, composta por algumas gramas de bicarbonato de sódio e aproximadamente 1 litro de vinagre. O composto serve de propulsão para que o foguete chegue o mais longe possível de forma oblíqua.

Foi o que fez o trio de alunas Maria Fernanda, Ana Clara e Beatriz Tainá, que participaram pela primeira vez do evento.

"É meio complexo. Tem que se chegar nas medidas certas do bicarbonato e vinagre para não dar ‘corpo de fundo’ [peso elevado foguete] e deixar ele bem nivelado", explica Maria.

 
Lançamento de foguete na fase estadual da 13ª Mobfog.  — Foto: Pedro Bentes/G1Lançamento de foguete na fase estadual da 13ª Mobfog.  — Foto: Pedro Bentes/G1

Lançamento de foguete na fase estadual da 13ª Mobfog. — Foto: Pedro Bentes/G1

Os grupos competidores da escola Major Guapindaia tiveram em média três componentes por equipe. A inscrição da escola aconteceu previamente por meio de cadastro único na Olimpíada Brasileira de Astronomia (OBA).

Para representar a escola na etapa nacional, o trio formado pelos estudantes Danilo, Kevin e Carlos optou por definir a sua própria proporção de componentes, colocando uma quantidade de bicarbonato e vinagre adaptado ao foguete deles.

"Eu testei o composto no meu quarto, o que deu uma pressão incrível e acabou explodindo em questão de dois segundos. Pra evitar isso, eu fiz uns riscos [no foguete] para que a pressão saísse. O quarto está intacto", afirma o estudante Danilo.

Estudante da Escola Major Guapindaia, confere últimos ajustes antes do lançamento de seu foguete na fase estadual da 13ª Mobfog.  — Foto: Pedro Bentes/G1

A participação dos alunos foi voluntária. Entretanto, só puderam participar da competição, estudantes do 1º e 2º anos da Escola Major Guapindaia. A participação, segundo a organização, é vetada aos estudantes do 3º ano, devido ao acúmulo de conteúdo e preparação para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

De acordo com o regulamento da Mobfog, todos os alunos recebem um certificado de participação. Já a distribuição de medalhas é restrita aos alunos que conseguirem os maiores alcances em seus respectivos níveis.

Puderam participar escolas públicas e privadas, urbanas ou rurais de todo o Brasil. A etapa nacional está prevista para acontecer na cidade de Barra do Piraí (RJ), entre outubro e novembro de 2019.


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo